Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Reidi - Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura

Publicado: Quarta, 19 de Novembro de 2014, 09h07 | Última atualização em Sexta, 09 de Novembro de 2018, 10h35

 

  

O Reidi - Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura tem como objetivo a desoneração da implantação de projetos de infraestrutura. É beneficiária do Reidi a pessoa jurídica que tenha projeto aprovado para implantação de obras de infraestrutura nos setores de transportes, portos, energia, saneamento básico e irrigação.

 

1 - Apresentação

2 - Beneficiários de Transportes

3 - Links Importantes

4 - Requerimentos e Consultas

   

1 - Apresentação

Criado pela Lei Federal nº 11.488, de 15 de junho de 2007, o Reidi – Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura, tem como objetivo a desoneração da implantação de projetos de infraestrutura. O Poder Executivo disciplinará os limites e as condições para a habilitação ao Reidi.

É beneficiária do Reidi a pessoa jurídica que tenha projeto aprovado para implantação de obras de infraestrutura nos setores de transportes, portos, energia, saneamento básico e irrigação.

A adesão ao Reidi fica condicionada à regularidade fiscal da pessoa jurídica em relação aos impostos e contribuições administradas pela Secretaria da Receita Federal do Ministério da Fazenda.

O incentivo fiscal do Reidi consiste na suspensão da incidência das contribuições para PIS (1,65%) e COFINS (7,6%) sobre as receitas decorrentes das aquisições abaixo relacionadas, destinadas à utilização ou incorporação em obras de infraestrutura destinadas ao seu ativo imobilizado:


1- venda de máquinas, aparelhos, instrumentos e equipamentos, novos, quando adquiridos por pessoa jurídica habilitada ao regime, para incorporação em obras de infraestrutura destinadas ao seu ativo imobilizado;

2 - venda de materiais de construção, quando adquiridos por pessoa jurídica habilitada ao regime, para incorporação em obras de infraestrutura destinadas ao seu ativo imobilizado;

3 - prestação de serviços, por pessoa jurídica estabelecida no país, à pessoa jurídica habilitada ao regime, quando aplicados em obras de infraestrutura destinadas ao ativo imobilizado;

4 - locação de máquinas, aparelhos, instrumentos e equipamentos para utilização em obras de infraestrutura destinadas ao seu ativo imobilizado, quando contratada por pessoa jurídica habilitada ao regime.

A lei foi regulamentada pelo Decreto Federal nº 6.144, de 03 de julho de 2007. Os procedimentos para aprovação dos projetos de infraestrutura no setor de transportes no âmbito do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil são disciplinados na Portaria GM/MTPA nº 512, de 27 de setembro de 2018.

 

2 - Beneficiários de Transportes

Podem requerer a adesão ao Reidi - Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura, pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, pessoas jurídicas que tenham projeto aprovado para implantação de obras de infraestrutura no setor de transportes, alcançando exclusivamente:

a) rodovias e hidrovias;

b) portos organizados e instalações portuárias de uso privativo;

c) ferrovias, inclusive locomotivas e vagões;

d) sistemas aeroportuários e sistemas de proteção ao voo instalados em aeródromos públicos.

A adesão ao Reidi é condicionada à regularidade fiscal da pessoa jurídica em relação aos impostos e contribuições administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, do Ministério da Fazenda.

Pessoas jurídicas optantes pelo SIMPLES ou pelo SIMPLES NACIONAL não poderão aderir ao Reidi.

  

3 - Links Importantes

Lei Federal nº 11.488, de 15 de junho de 2007

Decreto Federal nº 6.144, de 03 de julho de de 2007

Portaria GM/MTPA nº 512, de 27 de setembro de 2018

Anexo da Portaria GM/MTPA nº 512/2018 - Formulário de Requerimento ao Reidi

Instrução Normativa RFB/MF nº 1.307, de 27 de dezembro de 2012

 

 

 

 

 

Fim do conteúdo da página