Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Transporte Aquaviário

Publicado: Quarta, 12 de Novembro de 2014, 16h32 | Última atualização em Terça, 01 de Agosto de 2017, 09h43

Portos do Brasil

Desde 12 de maio de 2016, a Secretaria de Portos compõe a pasta dos Transportes, que passou a ser denominado Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. A criação da SEP tem como finalidade a formulação de políticas e diretrizes para o desenvolvimento e o fomento do setor de portos e instalações portuárias marítimos, fluviais e lacustres e, especialmente, promover a execução e a avaliação de medidas, programas e projetos de apoio ao desenvolvimento da infraestrutura e da superestrutura dos portos e instalações portuárias marítimos, fluviais e lacustres.

Além disso, figuram também como competência da SEP, no âmbito do Ministério, elaborar planos gerais de outorgas, aprovar os planos de desenvolvimento e zoneamento dos portos marítimos, fluviais e lacustres; estabelecer diretrizes para a representação do País nos organismos internacionais e em convenções e fixar compromissos de metas e de desempenho empresarial, promover a modernização, a eficiência, a competitividade e a qualidade das atividades portuárias.

Acesse Portos do Brasil e Antaq

Transporte Hidroviário

Transporte hidroviário é o tipo de transporte aquaviário realizado nas hidrovias (são percursos pré-determinados para o tráfego sobre águas) para transporte de pessoas e mercadorias. As hidrovias de interior podem ser rios, lagos e lagoas navegáveis que receberam algum tipo de melhoria/sinalização/balizamento para que um determinado tipo de embarcação possa trafegar com segurança por esta via.

As hidrovias são de grande importância para este tipo de modal, visto que, através dela consegue-se transportar grandes quantidades de mercadoria a grandes distâncias. Nelas são transportados produtos como: minérios, cascalhos, areia, carvão, ferro, grãos e outros produtos não perecíveis.

Hidrovias:

  • O Brasil possui uma rede hidroviária economicamente navegada de aproximadamente 22.037 km.
  • Segundo o PNLT (2012), a participação do modal aquaviário, considerando hidrovias e cabotagem, é de 13% do total, sendo que as hidrovias respondem por 5%.
  • Segundo o levantamento das vias economicamente navegadas, realizado pela ANTAQ (2014), as principais hidrovias do país são: Amazônica (17.651 quilômetros), Tocantins-Araguaia (1.360 quilômetros), Paraná-Tietê (1.359 quilômetros), Paraguai (591 quilômetros), São Francisco (576 quilômetros), Sul (500 quilômetros).
  • 52% do potencial navegável do país é utilizado para o transporte de cargas ou passageiros, considerando o total previsto no PVN de 1973 e atualizações.
  • 80 % das hidrovias estão na região amazônica, especificamente no complexo Solimões-Amazonas.
  • De acordo com balanço da Antaq, o Brasil movimentou via navegação nos rios internos, 38 milhões de toneladas no primeiro semestre de 2014.

Fonte: ANTAQ

Características do transporte hidroviário de carga no Brasil:

  • Grande capacidade de carga;
  • Baixo custo de transporte;
  • Baixo custo de manutenção;
  • Baixa flexibilidade;
  • Transporte lento;
  • Influenciado pelas condições climáticas.
  • Baixo custo de implantação quando se analisa uma via de leito natural, mas pode ser elevado se existir necessidade de construção de infraestruturas especiais como: eclusas, barragens, canais, etc.

Fundo da Marinha Mercante (FMM): é a principal fonte de financiamento de longo prazo do setor, destinada a promover o desenvolvimento da marinha mercante e da indústria de construção e reparação naval brasileira. Em 2013, o FMM atingiu um desempenho recorde de R$ 5 bilhões. Foram concluídas 77 embarcações e quatro projetos em estaleiros com valor total de R$ 3,9 bilhões.

Fonte: Ministério dos Transportes

Portos:

O Brasil possui 8,5 mil quilômetros de costa navegáveis.

O complexo portuário brasileiro movimentou 931 milhões de toneladas de carga bruta em 2013, um crescimento de 2,9% em relação a 2012.

Exportações: o setor portuário é responsável por mais de 90% das exportações do país. Dessa movimentação, 338 milhões de toneladas (36%) foram realizadas pelos Portos Organizados e 593 milhões (64%) pelos Terminais de Uso Privado (TUPs).

Dos 34 portos públicos, 16 são delegados a estados ou municípios e 18 marítimos são administrados diretamente pelas Companhias Docas, sociedades de economia mista, que têm como acionista majoritário o Governo Federal e, portanto, estão diretamente vinculadas à Secretaria de Portos.

São sete companhias responsáveis pelos portos: Companhia Docas do Pará (CDP), Companhia Docas do Ceará (CDC), Companhia Docas do Estado da Bahia (Codeba), Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) e Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp).

Fonte: Secretaria dos Portos. Contato: (61) 3411-3790/3943

 barra

 

pac

PAC Hidroviário

Rios e Regiões Hidrográficas

Administrações Hidroviárias

Barragens Eclusas

Vídeos e Imagens de Hidrovias

Sistema Nacional Viário (Aquaviário)

Plano Hidroviário Estratégico

 

Consulta Pública:

Vias navegáveis: alternativa estratégica para a competitividade

 barra

 Saiba mais:

Infraestrutura Hidroviária

Infraestrutura Marítima

registrado em:
Fim do conteúdo da página