Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Plano Aeroviário Nacional - PAN

Publicado: Terça, 20 de Novembro de 2018, 15h05 | Última atualização em Quarta, 28 de Novembro de 2018, 16h25

 

O Plano Aeroviário Nacional - PAN é um importante marco para o setor de transporte aéreo brasileiro. Além de cumprir a previsão legal, atende às recomendações da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI) quanto à necessidade de os países estruturarem suas ações voltadas à aviação civil em planos estratégicos. Ele destaca também o conjunto de ações, programas, políticas e regulações elencados como estratégicos para o alcance dos objetivos do transporte aéreo.

 

Acesse aqui os documentos e anexos

Acesse aqui o PDF do documento

As premissas e os objetivos estratégicos adotados no Plano tiveram como base a Política Nacional de Aviação Civil (PNAC), a Política Nacional de Transportes (PNT) e demais documentos que tratam de planejamento de transporte. Os objetivos estratégicos são:

  • segurança;
  • garantia aos direitos dos usuários;
  • qualidade e facilitação;
  • conservação do meio ambiente;
  • desenvolvimento técnico e institucional;
  • acessibilidade;
  • conectividade;
  • eficiência; e
  • desenvolvimento do setor de transporte aéreo.

O PAN apresenta uma nova classificação para rede de aeroportos do Brasil, sendo essa classificação matricial, por função na rede e por porte de operação, ou seja, cada aeroporto é classificado de duas maneiras distintas. A figura abaixo mostra a classificação por função:

classificacao aeroportos PAN

Com base nessa classificação da rede de aeroportos e na análise de cenários foi possível identificar o avanço da demanda e a necessidade de aumento de capacidade do setor. Caso não haja investimentos em infraestrutura no setor, a demanda poderá ultrapassar a capacidade instalada de processamento de passageiros em 2025, numa análise global da infraestrutura aeroportuária disponível atualmente, como se pode observar na figura abaixo:

PAN2018 Capacidade

Dessa forma, o PAN estima uma necessidade de investimentos da ordem de R$ 25,5 bilhões para os próximos 20 anos. Destes, R$ 22,9 bilhões destinam-se para a infraestrutura aeroportuária, R$ 1,8 bilhão para infraestrutura aeronáutica, e 896 milhões para segurança operacional. 

Analisando as fontes dos recursos para os investimentos, observa-se que R$ 6,76 bilhões estão previstos nos contratos de concessão aeroportuária, enquanto os demais R$ 18,7 seriam oriundos do Fundo Nacional de Aviação Civil, que possui uma projeção de arrecadação de recursos na ordem de R$ 143,6 bilhões, para os próximos 20 anos.

 

PAN2018 FNAC

registrado em:
Fim do conteúdo da página