Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
HIDROVIA SÃO FRANCISCO

Ministro assina ordem de serviço emergencial para a dragagem do Rio São Francisco, entre Alagoas e Sergipe

  • Publicado: Segunda, 27 de Novembro de 2017, 16h33
  • Última atualização em Domingo, 10 de Dezembro de 2017, 22h01
Ministro registra com celular os equipamentos para a dragagem do Rio São Francisco - Foto: Edsom Leite - Ascom/MTPA
imagem sem descrição.

Serão retirados quase 800 mil m³ de fragmentos do trecho hidroviário, para garantir navegabilidade entre os estados, segurança do transporte de pessoas e abastecimento de alimentos, combustíveis e medicamentos.

Com previsão de investimentos de R$ 9 milhões, o início dos trabalhos para melhorias da travessia do Rio São Francisco, entre as cidades e Penedo (AL) e Neópolis (SE) e entre Pão de Açúcar (AL) e Niterói (SE), começam nesta terça-feira (28/11). O ministro dos Transportes, Portos e Aviação, Maurício Quintella, esteve em Penedo (AL), nesta segunda-feira (27/11), para assinar a ordem de serviço emergencial para a imediata execução da obra.

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, destaca a priorização para a conclusão da dragagem. “Esta é uma obra fundamental para garantir a segurança de passageiros e de carga para os dois estados além de suprimentos essenciais para abastecimento das regiões”, explicou Quintella.

A longa estiagem, em toda a bacia do Rio São Francisco, acarretou a diminuição da vazão das barragens, e, também, prejudicou as travessias realizadas por balsas, o que interrompeu o abastecimento se medicamentos, alimentos e combustíveis e materiais de primeira necessidade para os moradores da região.

Somente entre os dias 26 de julho e 1º de agosto deste ano, o nível da água diminuiu cerca de 1,5 metro ao longo desses trechos. Para garantir a navegabilidade em dois pontos críticos do leito fluvial, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), vai coordenar as operações para a dragagem do trecho, até maio de 2018. O departamento estima dragar 506 mil metros cúbicos em Penedo e 285 mil metros cúbicos em Pão de Açúcar.


RIO SÃO FRANCISCO - O agravamento das condições é uma combinação entre a longa estiagem e a diminuição da vazão das barragens de Xingó e de Sobradinho, que no mês passado atingiu a menor marca desde o início do funcionamento, em 1979: 550 metros cúbicos. Esse patamar de vazão de 550 metros cúbicos deverá ser mantido até abril de 2018.

A obra será realizada pelo Consórcio L&P e supervisionada pela empresa Hidrotopo. A draga já está no local e o serviço será do tipo sucção recalque.

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

registrado em:
Fim do conteúdo da página