Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Medida socioambiental

Sustentabilidade marca obra na BR-363/PE, na ilha Fernando de Noronha

  • Publicado: Quarta, 08 de Novembro de 2017, 15h47
  • Última atualização em Sexta, 24 de Novembro de 2017, 14h58

fernando de noronhaA BR-363, a menor rodovia do Nordeste e única localizada dentro de uma ilha oceânica, no Arquipélago de Fernando de Noronha, no Estado de Pernambuco, passará por obras de manutenção. Além do tamanho da logística necessária à sua execução, como transporte marítimo, aéreo, de pessoal, maquinários e insumos, a obra realizada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT teve a aprovação do Ibama e é considerada sustentável. O entulho de material de pavimento será armazenado e reaproveitado na restauração das ruas vicinais, pela Administração da ilha. E o material orgânico retirado da rodovia, a exemplo de galhos, folhas etc, será encaminhado para a usina de compostagem.

Toda a obra foi planejada de modo a causar a menor interferência possível na ilha. Além do reaproveitamento/tratamento dos resíduos sólidos, foram escolhidos materiais asfálticos que não necessitam de Usina de Aquecimento.

fernando de noronha03Com 6,8 quilômetros de extensão, a BR 363 corta a ilha de uma ponta a outra, com início no Porto de Santo Antônio e fim na Baía do Sueste. É o principal trajeto do arquipélago, e interliga lugares como o aeroporto, áreas urbanas, estradas vicinais e os acessos às praias.

A ordem de serviço para o início das obras foi assinada na última quarta-feira (01/11), na Superintendência Regional do DNIT em Recife. Com previsão de término em dois anos e investimento total de R$ 9.950.000,00, a obra prevê a execução de serviços de manutenção/conservação rodoviária, no trecho que vai do km 0,0 ao km 6,80, mais 120 metros de pista lateral no Porto. Todos os insumos usados na obra serão transportados a partir do continente, com o transporte marítimo saindo do Porto de Recife para a Ilha Fernando de Noronha e, por fim, contemplando também o transporte terrestre na ilha.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social - DNIT

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página